top of page

E-commerce em alta, o momento certo para ingressar neste mundo!



Com as compras online se tornando uma tendência cada vez mais influentes na economia do país e do mundo, o e-commerce brasileiro tem tido um crescimento chegando a dois dígitos percentuais mesmo em tempos de pandemia, precisamos dar mais atenção as oportunidades que acompanham esta alta.


No primeiro trimestre de 2022, segundo a MCC-ENET teve uma alta de 12,59% em comparação ao ano anterior. No acumulado dos últimos 12 meses a expansão chega a 11%, representando um faturamento de R$ 39,6 Bilhões no comercio digital. Entretanto as altas não param por ai, o numero de pedidos em compras online totalizam 89,7 milhões, uma ascendência de 14% em comparação aos primeiros três meses de 2021, aponta a Neotrust, empresa de inteligência que monitora o e-commerce brasileiro.


“... Outro indicador de destaque do estudo MCC-ENET foi a penetração das vendas online em relação ao total do varejo. Em Fevereiro de 2022, atingiu 12,4% na média móvel dos últimos 12 meses, o maior valor do histórico medido desde Janeiro de 2018″, afirma Gastão Mattos, responsável pela Divisão de Varejo Online da camara-e.net.


Ao observar os dados do ranking regional — considerando como base o primeiro trimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2021 —, a composição ficou da seguinte forma:

  • Norte (27,02%);

  • Nordeste (22,79%);

  • Centro-Oeste (15,81%);

  • Sul (14,36%);

  • e Sudeste (9,03%).



Metodologia do MCC-ENET

Os índices mensais vêm da comparação dos dados do último mês vigente em relação ao período base (média de 2017). Para compor o índice, a Neotrust | Compre & Confie coleta 100% de todas as vendas reais de grande parte do mercado de e-commerce brasileiro. Também são utilizadas informações dos indicadores econômicos nacionais do IBGE, IPEA e FGV.

O MCC-ENET traz uma visão completa a respeito do e-commerce no país a partir da análise das variáveis de percentual nacional e regional de vendas online; faturamento do setor; e tíquete médio.

Outras métricas analisadas mensalmente são participação mensal do e-commerce no comércio varejista e crescimento do setor no varejo restrito e ampliado, além da distribuição das vendas por categoria. Por último, a penetração de internautas que realizaram ao menos uma compra trimestralmente pela internet também está contemplada no índice.

30 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page